29mar

Atualmente estou focada em aprender inglês e impressionada como a aprendizagem tem o poder de nos motivar ou desmotivar. Ela nos leva à extremos, como se fosse uma roda gigante: em um momento feliz por estar melhor que ontem, em outro decepcionado, por não compreender o assunto e não conseguir avançar.

Às vezes você se sente atropelado por avalanche de novas informações, sua cabeça fica confusa e começa a doer, a impressão é que você não vai conseguir reter tudo aquilo, parece que o conteúdo quer fugir para um lugar bem longe e você nunca mais vai lembrar dele.

Mas calma, precisamos compreender e lidar com esse processo chamado: Mudança! Segundo Fischer o processo de mudança na aprendizagem tem 8 fases:

  • Ansiedade
  • Alegria
  • Medo
  • Ameaça
  • Culpa
  • Depressão
  • Aceitação gradual
  • Avanço

Imagina quantos desafios há para ultrapassar cada uma dessas fases!

Em sala de aula já vi colegas desistindo na fase da ameaça (a pessoa se dá conta que seu nível de habilidade não é suficiente). Não é ameaçador ser obrigado a falar inglês sem ter pleno domínio das palavras?

Aprender exige sair da nossa zona de conforto, se desafiar, olhar para o novo, aceitar que há um caminho que precisa ser percorrido

Eu constatei também que a maturidade auxilia muito no equilíbrio das emoções e a ponderar mais a vontade de desistir. Eu mesmo comecei inglês por duas vezes quando era mais nova e não passava do 3º mês. Pois bem, minha nova saga já dura um ano, muito bem aproveitado por sinal.

Outro fator que auxilia muito é o autoconhecimento. Já ouviu falar sobre a teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner? A minha é lógico-matemática e isso me leva a estruturar todas as informações que aprendo: uso mapa mental, cores, formas e imagens para conectar ideias, a informação precisa fazer sentido para que eu possa aprender. Pesquise qual é o seu tipo de inteligência e adapte o seu método de aprendizagem a ela!

Topicos Teoria das Inteligências Múltiplas

 

Ainda falando sobre autoconhecimento eu não poderia deixar de mencionar a teoria da Aprendizagem Vivencial de Kolb e seu LSI (Learning Style Inventory) que descreve a maneira como as pessoas aprendem e lidam com as ideias no dia-a-dia. Eu realizei o teste e o resultado foi convergente (a descrição desse estilo vai ao encontro do meu tipo de inteligência – lógico-matemática mencionada anteriormente):

“As pessoas de estilo “convergente” são pessoas que buscam encontrar o uso prático de uma ideia ou teoria; têm alta capacidade de resolver problemas. A solução de problemas é obtida em processos formais de decisão. ”

 

Aprender exige sair da nossa zona de conforto, se desafiar, olhar para o novo, aceitar que há um caminho que precisa ser percorrido e que não há tantos atalhos possíveis. E quais são os benefícios de ser um eterno aprendiz? Para mim é a satisfação de superar desafios e o orgulho de dizer: EU SEI FAZER ISSO!

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”. Albert Einstein

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *